A Reforma Protestante foi um movimento de inconformidade em relação às heresias que se enraizaram no seio da Igreja Romana ao longo de toda a idade média e que atingiram seu apogeu no século XVI.

A Reforma teve seu início através da coragem e ousadia de um monge alemão chamado Martinho Lutero, nascido em 1483. Lutero não se conformou com as práticas pagãs que dominavam a liturgia, costumes e doutrinas da Igreja. Ele percebeu que a Igreja estava deformada pelos falsos ensinos e colocou sua vida a serviço de resgatar o padrão bíblico da Verdade.

Em 1512, Lutero foi enviado à Universidade de Wittenberg para lecionar. Lá, passou a ministrar cursos sobre vários livros da Bíblia. Ao estudar a bíblia e comparar as verdades ali expostas às doutrinas de sua época, Lutero começou a compreender que a Igreja havia se desviado da verdade das Escrituras.

 

Nessa época, o Papa Leão X estava em campanha de venda de indulgencias para a construção da Igreja de São Pedro, em Roma. O objetivo era arrecadar dinheiro para custear as obras.

 

As indulgências nada mais eram do que um documento assinado pelo Papa com a promessa de concessão do perdão divino para qualquer pessoa que pudesse pagar por isso.

A Igreja fazia as pessoas acreditarem que comprando as indulgências teriam diminuída sua permanência no purgatório ou a de algum parente seu falecido.

 

Foi nesse contexto que Lutero descobriu uma verdade bíblica que mudou sua vida e revolucionou sua mente: A JUSTIFICAÇÃO SOMENTE PELA FÉ.

 

Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego.


Visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé.

Romanos 1:16,17

 

Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem de obras, para que ninguém se glorie;

Efésios 2:8,9

 

A Justificação somente pela fé (Sola fide) em Cristo foi um divisor das águas entre a Igreja Católica Romana e a Igreja Protestante ou evangélica. Podemos dizer que o protestantismo nasceu da luta pela doutrina da justificação pela fé somente. Segundo Lutero, essa não era meramente uma doutrina entre demais, mas o “resumo da toda doutrina cristã”.

 

Ao se aprofundar nos estudos bíblicos e na doutrina da graça (“pela graça sois salvos”), Lutero concluiu que os ensinamentos bíblicos estavam sendo negligenciados e que o povo estava sendo ludibriado e explorado. Ele passou também a entender que a salvação não dependia de méritos humanos (não vem de obras) e que ninguém poderia comprar o perdão divino. Portanto, a venda de indulgências era, na verdade, uma afronta à Palavra de Deus e um instrumento para exploração do povo e enriquecimento da Igreja.

 

Em 31 de Outubro de 1517, em ato de grande ousadia, Lutero afixou às portas da igreja de Wittenberg suas 95 teses em protesto contra a venda de indulgências. Esse ato é considerado o grande marco inicial da Reforma Protestante.

Em poucas semanas as teses de Lutero se espalharam por toda a Alemanha e, em poucos meses, por toda Europa.

 

Eis algumas das 95 teses elaboradas por Lutero:

 

  • Tese 21: Erram, portanto, os pregadores de indulgências que afirmam que a pessoa é absolvida de toda pena e salva pelas indulgências do papa.

  • Tese 24: Por isso, a maior parte do povo está sendo necessariamente ludibriada por essa magnífica e indistinta promessa de absolvição da pena.

  • Tese 32: Serão condenados em eternidade, juntamente com seus mestres, aqueles que se julgam seguros de sua salvação através de carta de indulgência.

  • Tese 36: Qualquer cristão que está verdadeiramente contrito tem remissão plena tanto da pena como da culpa, que são suas dívidas, mesmo sem uma carta de indulgência.

  • Tese 52: Vã é a confiança na salvação por meio de cartas de indulgências, mesmo que o comissário ou até mesmo o próprio papa dessa sua alma como garantia pelas mesmas.

 

A partir de então, Lutero passou a ensinar ao povo que nenhum homem ou Papa, seja quem for, pode deter a salvação ou ser libertador do homem, garantindo-lhe a vida eterna.

A salvação somente pode ser alcançada pela da GRAÇA (Sola Gratia), mediante a FÉ (Sola fide) em JESUS CRISTO (Solus Christus).

No entanto, tão grande quebra de paradigma não seria realizada sem intensa perseguição por parte do poder dominante à época. Lutero, ao se opor ao sistema religioso vigente, despertou a fúria do alto clero romano e enfrentou grande perseguição.

Por conta de suas Teses e outras publicações, Lutero foi excomungado da Igreja em janeiro de 1521, através da bula papal "Decet Romanum Pontificem".

Em 1521 Lutero foi convocado pelo Imperador a dar explicações em uma assembleia realizada na cidade de Worms, a chamada Dieta de Worms.

 

Essa Assembleia teve um papel importante na Reforma, pois nela Lutero, embora coagido a desmentir as suas teses e seus escritos, os defendeu corajosamente e reafirmou sua convicção, conquistando o coração de muitas autoridades pela sua firmeza.

Por muitas vezes a vida de Lutero esteve em risco, mas pela provisão de Deus, ele ainda teve tempo de ver com os próprios olhos a Reforma que iniciou espalhar-se por toda a Alemanha e grande parte da Europa. Além disso, Lutero dedicou 13 anos de sua vida para traduzir a bíblia sagrada completa para o Alemão, sua língua natal, e deu ao seu povo a oportunidade de estudar e conhecer a Verdade por si mesmos.

Inspirados no exemplo e fé de Lutero, muitos outros homens e mulheres se levantaram, ungidos por Deus, para consolidar essa obra. Dentre esses nomes, destaca-se João Calvino (1509-1564), considerado o grande cérebro da Reforma e o sistematizador das doutrinas reformadas. Francês radicado em Genebra, Calvino realizou uma extraordinária obra de pregação, ensino, disciplina e educação. Sua obra intitulada As Institutas da Religião Cristã é considerada um marco na literatura reformada. 

 

O fato é que o mundo nunca mais foi o mesmo após a Reforma Protestante. Política, economia, filosofia, literatura, música, educação, tudo foi afetado. O mundo foi reformado juntamente com a Reforma.

 

A Igreja Presbiteriana do Brasil - IPB, da qual faz parte a IPB do Cruzeiro, é uma igreja alicerçada na Fé Reformada, herdeira da Reforma iniciada no séc. XVI.

Deus, por intermédio de sua providência e misericórdia, tem levantado, ao longo dos séculos, homens, mulheres, jovens e crianças comprometidos em levar adiante os ideais da Reforma Protestante, proclamando o Evangelho de Jesus Cristo, ensinando as Escrituras, glorificando o nome de Deus, sendo sal e luz num mundo de trevas.

 

Esse artigo foi escrito por Romulo Fulgoni, que é membro de nossa Igreja e professor do curso Homem ao Máximo.  

 Direitos Reservados © 2016-2020. 1ª Igreja Presbiteriana do Brasil no Cruzeiro